Câmara Lúcida

1830- Gravura de Câmara Lúcida em uso

CÂMARA LÚCIDA

A câmara lúcida é um pequeno prisma com quatro ou cinco faces, uma semi-espelhada e outra espelhada, que permite ao pintor ver sobre a tela ou papel onde faz o esboço a imagem do objeto que pinta, à sua frente.O dispositivo é pequeno, discreto e, para quem não o conhece, pode parecer apenas um monóculo esquisito. O nome câmara se deve à possibilidade do artista instalar-se no interior de um quarto escuro, com uma pequena janela para a entrada de luz, para visualizar melhor a imagem projetada sobre a tela.

Para Hockney, a câmara lúcida foi o fio da meada. Se muitos artistas a usavam e ainda a usam – a câmara lúcida foi criada para eles e é fabricada ainda hoje – é de se supor que o hábito de recorrer ao auxílio de dispositivos ópticos fosse algo antigo e corriqueiro. Hockney, logo percebeu que para isso tinha de buscar uma assessoria científica, pois, como costuma ocorrer com os artistas, ele sabia muito pouco de física e de óptica, apesar de essa área da física interessar particularmente aos artistas.

A imagem abaixo demonstra como é utilizado atualmente.

O artista desenhando uma modelo.

Integrantes do grupo:

Aline Cristine Correia de Brito

Dener Cavalcante da Cunha

Edson Gentil Junior