Fazer propaganda para os serviços de massagem não é nada fácil!

Recentemente, em uma conversa informal com publicitário e consultor de SEM – search engine marketing, Rogério Costa, descobrimos que fazer comunicação para o segmento de massagem requer alguns cuidados estratégicos. Isso se torna necessário por conta dos consumidores de “entretenimento adulto”, relata.

Enquanto o mais comum é querermos falar, comunicar com o maior número possível de pessoas dentro do target definido pelo cliente, quando trata-se de serviços de massagem clínica (note bem: massagem clínica), é comum ter que adotar estratégias inversas. Segundo Rogério, é preferível que ao invés de 300 ligações diárias, o cliente anunciante receba apenas 100 ligações e que dessas 100, pelo menos 20% seja convertidas em vendas. Ou seja, o que está em jogo é a qualidade e não a quantidade.

Durante a conversa, ele relata o caso do cliente Bergqvist Massagem que trabalha principalmente com cursos de massagem em São Paulo (SP) e Rio de Janeiro (RJ). “Neste caso nós tivemos que adequar toda linguagem textual e gráfica do site pra conseguir otimizar o número de vendas na empresa. Se você reparar, nós inserimos até avisos alertando sobre o tipo de serviço oferecido porque tem um público que confunde muito a utilidade do atendimento”, relata.

Na internet, nós temos todas as informações  disponíveis. Se você está atendendo um cliente de massagem, busque dados reais sobre o mercado, converse com o cliente, utilize o serviço… Eu fiz várias seções de massagem lá com o pessoal da Bergqvist. — Rogério Costa

Com isso, percebemos que conhecer o cliente, montar um bom planejamento, definir um posicionamento coerente e ofertar uma linguagem tanto de redação quanto de criação gráfica para o target específico ainda é a melhor alternativa.

E você, o quê acha dessas dicas? Comente e registre sua opinião.